O atlas de Pedro Texeira

Portos, barras e paisagens litorais da Península Ibérica em 1634

A editora NEREA publicou em 2002 uma edição monumental de excepcional valor histórico e artístico, intitulada El Atlas del Rey Planeta, que reúne a publicação do inédito Atlas de Viena, da autoria de Pedro Texeira, e a respectiva descrição literária, com base numa nova transcrição do original.

A obra do geógrafo de origem portuguesa, terminada em 1634, constitui um marco destacado no repertório de fontes históricas sobre o território da Península Ibérica no século XVII.

O Atlas é um fascinante documento cartográfico que representa em médias e grandes escalas os principais portos, cidades, barras e paisagens litorais da Península no reinado de Filipe IV (III de Portugal).

Dos 100 mapas inéditos, 22 abrangem o actual território português, dos quais 2 de conjunto e 20 de detalhe, desenhados em pseudo-perspectiva colorida de grande beleza cartográfica e apreciável valor artístico.

Destaca-se a qualidade geográfica de alguns dos mapas que representam zonas em maior escala, como é o caso dos da Nazaré, São Martinho do Porto, Peniche, Cabo de São Vicente e Sagres.

Representa em todos os mapas aspectos preciosos para a reconstituição da linha costeira e das áreas alagadas litorais, assim como do aspecto coevo das barras e fozes dos principais rios associados à actividade portuária.

É também de referir a menor qualidade de alguns dos mapas de menor escala, que falseiam deliberadamente as distâncias geográficas para incluir todos os elementos corográficos relevantes nas gravuras.

As povoações o representadas nestes numa escala muito superior à do resto do território, sacrificando-se a sua verdadeira posição e dimensões de modo a realçar traços essenciais da sua forma urbana. Infelizmente, estas m muitas vezes uma representação convencional pelo que o Atlas é pouco útil na reconstituição urbanística no séc. XVII pois falseia a dimensão, a localização e os elementos urbanísticos da forma.

Os mais prejudicados o Lagos, Faro e Tavira e o único erro grosseiro é o de Albufeira, cuja localização e forma são totalmente inventadas na foz da ribeira da Bordeira, na Costa Vicentina.

O Campo Arqueológico de Tavira tem em curso um estudo de análise e interpretação da parte portuguesa do atlas e da sua memória descritiva (Descrição Literária). Sistematiza a descrição e representação das infra-estruturas portuárias e das transformações costeiras ocorridas desde então. Analisa também a qualidade topológica, topográfica e toponímica das gravuras.

Esse estudo não pretende nem pode substituir a obra original, cuja consulta é indispensável. Para além da sua dimensão e qualidade gráficas, ela inclui mapas de toda a costa da península ibérica, a versão anotada da Descrição Literária numa transcrição original e um conjunto de estudos críticos de diversos autores, em que se destacam:

§      O significado do Atlas na época em  que foi realizado, nomeadamente os  sues objectivos políticos.

§      A biografia do autor e a história da produção do Atlas

§      As técnicas e ciências topográficas e cartográficas na Espanha do século XVII.

§      Uma análise formal sucinta das formas cartográficas utilizadas.

 

Mapas

Título original

Fólio

Povoações

Portugal (Mapa de conjunto)

Tabla del reyno de Portugal

58

 

Foz do rio Minho

Barra y puerto de Camiña

59

Caminha

Foz do rio Lima

Viana de Camiña

60

Viana do Castelo

Foz do rio Ave

Costas de la villa de Conde

61

Vila do Conde

Foz do rio Douro

Oporto

62

Porto

Gaia

Foz do rio Vouga

Aveiro

63

Aveiro

Vagos

Foz do rio Mondego

Buarcos

64

Buarcos

Figueira da Foz

Baía da Nazaré

Pederneira y bhaia de Nª de Nazareth

65

Nazaré

Baía de São Martinho do Porto

San Martin

66

São Martinho

Península de Peniche

Puerto y villa de Peniche

67

Peniche

Foz do rio Tejo e Cabo da Roca

Barra y puerto de la ciudad de Lisboa

68

Lisboa

Cascais

Almada

Barreiro, etc.

Foz do rio Sado

Barra y puerto de Setubal

69

Setúbal

Tróia

Lagoa de Melides

Entrada a Melides

70

Melides

Baías de Sines e Porto Covo

Bhaia de Sines

71

Sines

São

Foz do rio Mira

Villa nueva de mil fuentes

72

Milfontes

Vila Formosa

Odemira

Cabo Sardão, Carrapateira

Albufeira

73

Bordeira

Carrapateira

Sardão

Cabo de São Vicente

Cabo de S. Vincente

75

Sagres

Baía de Sagres

Puerto de Sagres

76

Sagres

Ribeiras de Lagos e Alvor e Rio Arade

Costas de Villa nueva de Portiman

78

Lagos

Alvor

Portimão

Laguna de Faro

Cabo de S. Maria

79

Faro

Foz do rio Gilão e Laguna de Tavira

Puerto de Tavila

80

Tavira

Foz do rio Guadiana

Barra del rio Guadiana

83

Castro Marim

Aiamonte

Golfo de Cádis (Mapa de conjunto)

Tabla del reyno de Andaluzia

82

 

 

O Corpus Territorial do Sul é um projecto do Campo Arqueológico de Tavira, que pretende reunir, em suporte digital e na internet, os principais documentos históricos e estudos sobre o território do Algarve e do Sul de Portugal.

Ver aqui a descrição do projecto.

 

www.Arqueotavira.com

Copyright 2003-2005, Associação Campo Arqueológico de Tavira, Portugal

Permissões de utilização do conteúdo deste site